+ -

عن أبي سعيد الخُدْرِي رضي الله عنه وكان غَزَا مع النبي صلى الله عليه وسلم ثِنْتَي عَشْرَة غَزْوَة، قال: سمعت أرْبَعا من النبي صلى الله عليه وسلم فَأَعْجَبْنَنِي قال: لا تسافر المرأة مَسِيرَة يومين إلا ومعها زوجها أو ذو مَحْرَم، ولا صوم في يَوْمَيْنِ: الفِطْرِ وَالأَضْحَى، ولا صلاة بعد الصُّبح حتى تَطْلُعَ الشمس، ولا بعد العصر حتى تغرب، ولا تُشَدُّ الرِّحَالُ إلا إلى ثلاثة مساجد: مسجد الحرام، ومسجد الأَقْصَى، ومَسْجِدِي هذا.
[صحيح] - [رواه البخاري]
المزيــد ...

Abu Sa'īd al-Khudri (que Allah esteja satisfeito com ele) relatou (e ele lutou em doze batalhas com o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele): Eu ouvi quatro coisas do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah esteja com ele) que me agradou. Ele disse: "Nenhuma mulher deve viajar em uma viagem de dois dias de distantância, exceto com seu marido ou um Mahram. Não deve haver jejum em dois dias: Al-Fitr e Al-Ad'ha . Não deve haver oração após a oração Fajr até o nascer do sol nem depois da oração 'Asr até o pôr do sol. Nenhuma viagem especial deve ser feita, exceto para três mesquitas: a Mesquita Sagrada, a Mesquita de Al-Aqsa e esta minha mesquita . "
Autêntico - Relatado por Bukhari

Explanação

O narrador relata que Abu Sa'īd al-Khudri (que Allah esteja satisfeito com ele) participou de doze batalhas com o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele). Abu Sa'īd disse: "Eu ouvi quatro coisas do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele) que me agradaram", significando que ele ouviu um Hadīth do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele) que continham quatro decisões que lhe agradaram. A primeira regra: "Nenhuma mulher deve viajar em uma viagem de dois dias, exceto com seu marido ou um Mahram", significando que não é permitido a uma mulher viajar sem um Mahram. O Mahram é seu marido ou um homem que está permanentemente proibido de se casar com ela, como pai, avô, filho, irmão e tios paternos e maternos. Uma "viagem de dois dias" é estimada em oitenta quilômetros. Outra narração diz: "Não é lícito para uma mulher percorrer a distância de um dia e uma noite exceto com um Mahram", e em outra narração: "a distância de um dia", e em outra: "a distância de uma noite , "e ainda em outro:" Nenhuma mulher deve viajar em uma viagem de três dias de distância, exceto com um Mahram. " Em uma narração relatada por Abu Dawūd: "uma distância longa". An-Nawawi (que Allah tenha misericórdia dele) disse: "As limitações estabelecidas não devem ser interpretadas literalmente; em vez disso, a mulher está proibida de qualquer coisa que seja considerada viajar, exceto com um Mahram, e a limitação ocorreu devido a uma situação real , então seu entendimento não deve ser posto em prática. " Isso caso não haja necessidade de ela viajar. Se houver necessidade, será permitido que ela viaje, como se ela tivesse abraçado o Isslam em um país não muçulmano ou um país sob o governo de descrentes, e ela temeu por si mesma em relação a permanecer entre os não muçulmanos. Nesse caso, é permitido que ela viaje sozinha. A segunda decisão: "Não deve haver jejum em dois dias: Al-Fitr e Al-Ad'ha", o que significa que não é permitido jejuar no Eid al-Fitr ou Eid al-Ad'ha, independentemente de ser compensando um jejum perdido ou cumprindo um voto. Se alguém jejuar um ou ambos, Seu jejum não será contado para ele e ele será pecador se o fizer intencionalmente. Foi mencionado em um Hadīth: "É proibido jejuar estes dois dias. No Dia de Ad'ha, você come da carne de seus sacrifícios; e no Dia de Fitr, você quebra seu jejum (que você estava jejuando no Ramadãn). "Portanto, a razão para a proibição no Dia de Ad'ha é o abate e o comer da carne das ofertas e sacrifícios, e é permitido que o povo coma das ofertas e sacrifícios, de modo que não devem se ocupar com jejuar em vez de abater e comer, que são dos aparentes rituais do Isslam. Quanto à razão por trás da proibição do Eid al-Fitr, está em seu nome, e as pessoas deveriam comer neste dia, e não em jejum ;é também o dia que distingue entre o Ramadãn e Shawwāl, então não se deve jejuar. A terceira regra: "Não deve haver oração após a oração Fajr" O significado aparente do Hadīth é a inadmissibilidade de realizar a oração voluntária após o amanhecer, no entanto, este não é o significado pretendido, porque outros textos indicam a recomendação de realizar as duas Rak'ahs (voluntárias) do Fajr após o amanhecer (se alguém deixou de rezá-las antes da oração do Fajr), e isso está acordado por unanimidade. Não é permitido orar após a oração de Fajr, e a evidência para esta especificação é encontrada na narração de Al-Bukhāri relatada por Abu Sa'īd: "Não deve haver oração após a oração de Fajr até o sol nascer e depois do ' Oração de Asr até o pôr do sol. " Uma narração de um muçulmano diz: "Não deve haver oração após a oração de Fajr." "E após a oração de 'Asr até o pôr do sol", ou seja, até o pôr do sol. Então, quando alguém realiza a oração ‘Asr, ele deve se abster de realizar qualquer oração voluntária. Não há proibição para repor as orações perdidas após a oração 'Asr, porque é obrigatório apressar e se libertar da obrigação. A quarta decisão: "Nenhuma viagem especial deve ser feita, exceto para três mesquitas: a Mesquita Sagrada, a Mesquita de Al-Aqsa e esta minha mesquita", significando que ninguém deve partir em uma viagem para qualquer lugar na terra em busca de proximidade com Allah, Glorificado e Exaltado, ou devido à sua distinção, virtudes ou estima exceto por essas três mesquitas, e está tudo bem partir em uma jornada para elas de acordo com o texto do Hadīth.

Tradução: Inglês Urdu Espanhola Indonésia Uigur Bangali Francês Turco Russa Bosnia Cingalês indiano Chinesa Persa Vietnamita Tagalo Curdo Hauçá Suaíli Pushto Assamês Sueco Tradução amárico Gujarati Iorubá Dari Tradução somali
Ver as traduções