عن أبي جُهَيْمِ بْنِ الْحَارِثِ بْنِ الصِّمَّةِ الأنصاري -رضي الله عنه- مرفوعاً: «لو يعلم المار بين يدي الْمُصَلِّي ماذا عليه لكان أن يَقِفَ أربعين خيرا له من أن يَمُرَّ بين يديه». قال أَبُو النَّضْرِ: لا أدري: قال أربعين يوما أو شهرا أو سنة.
[صحيح.] - [متفق عليه.]
المزيــد ...

consta de Abu Juhaim bin Alharith bin Summah Al-ansarri, que Deus esteja satisfeito com ele, a partir do Mensageiro que disse: "se soubesse aquele que passa em frente de quem observa a oração, o que terá de pecado, desejaria melhor tiver aguardado por um período de quarenta do que passar em frente do orador". Abu Nazir diz: Não sei se quis dizer quarenta dias ou meses ou anos
[Autêntico] - [Acordado]

Explanação

O observador da oração ao estiver diante da oração, está a comunicar-se com o seu Senhor, e quando passa diante dele uma pessoa enquanto ele estiver nesta situação, corta a comunicação e perturba-o de certa forma no seu ritual, que por essa razão definiu-se ser um pecado formidavel de quem provoca tal ambiente pela sua passagem para quem estiver dentro da oração e o sharia informou que se a pessoa soubesse o que recebe de pecado pela sua passagem em frente de quem observa a oração, preferiria ter aguardado no seu local por um período longo que passar em frente do orador, o que significa que se deve evitar e se acautelar.

Tradução: Inglês Francês Espanhola Turco Urdu Indonésia Bosnia Russa Bangali Chinesa Persa Tagalo indiano Vietnamita Cingalês Uigur Hauçá
Ver as traduções